sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Porque o amor está fora de moda

    Eu tenho pensado muito nas meninas. Em todas, em especial nas que levaram uns tombos depois de breves beijos na calçada e resolvem brincar de crescer e agora não sabem como parar com isso. Tenho pensado nas suas habilidades em tecer expectativas por amores fabulosos, amores de Chico, romances de García Márquez, histórias de Roger Mitchell, com Julia Roberts e Hugh Grant. Ao criar tantas expectativas, viver a realidade não é decepção. É mero retrabalho. 
    Tenho pensado em suas novas músicas alegres e ruins, suas novas roupas luminosas clamando atenção para o que pouco importa, suas novas soluções alcoólicas, suas velhas mentiras que insistem em contar, seus finais infelizes, suas vidas escritas à caneta, aquele jeitinho doce e dissimulado de começar falando pelo final, suas vozes roucas de tanto gritar, seus chicletes de menta imitando o sabor de suas vidas após doze minutos, dentre lábios que mereciam estar sendo mordiscados nesse exato instante e não procurando sensações na tela do computador. Tenho pensado nos três pontos finais que os moços colocam e elas teimam em ver ali reticências, uma réstia de esperança de que o episódio não signifique o óbvio, um tijolo a menos nas suas construções afetivas. 
    Ontem eu vi uma menina de cinco ou seis tendo um de seus primeiros desejos latentes negados: um sorvete num parquinho meio vazio, aspirando brisa, com os cabelos finos desgrenhados pelo vento frio. Meninas são isso: fadas chorosas por sorvete fora de época, e não consigo lembrar, mais ou menos, o dia em que nós rapazes perdemos a conta disso e passamos a negar todos os sabores. 
    Com tantos direitos conquistados, foram perder justo o de ser feliz. Ir, rir e vir, sem precisar filtrar seus graus ou preocupar-se com o que o pai ou a cidade inteira vai pensar. Bárbaras e ninguém vê. Perfumadas e ninguém cheira. Ensaiadas e ninguém assiste. Indumentadas e ninguém elogia. Cheias de mistério e ninguém desvenda. Repletas de segredos e ninguém quer saber. Entupidas de palavras e ninguém pra ouvir. Com mais de 10 mil terminações nervosas em cada área intocada e ninguém pra pousar a mão quieta por mais de cinco minutos. Cheias de cena e ninguém a aplaudir. Cheias de blogs floridos que ninguém lê. Com dois ou três números de telefone aguardando ninguém ligar. Cheias de curva e todo mundo passando reto. Se valorizando, se insinuando, se poupando para no fim se dar de graça, pois o “mercado” (péssima analogia) está em baixa e o que vier, mesmo sem nunca ter botado os olhos num Neruda ou num Almodóvar ou num Michael Buble, vem bem, é lucro. 
    Eternamente se doando sem receber a cesta básica em troca: carinhos, fungadas, afagos, ombros, ouvidos, palavras, proteção, segurança, pão com ovo, telefonemas, cócegas, bilhetes, rosas de alguma cor ou beijos de lábios que caminham calorosa e cuidadosamente, transitando por pescoços, braços e orelhas. Não pulgas e sim beijos atrás das orelhas, ali onde nenhuma menina tem o mesmo perfume da outra, o que desmente a tese de serem todas iguais. Elas só querem as mesmas coisas, talvez não agora, nesse momento, lugar ou fase da vida, e provavelmente não hoje, nessa festa ou reunião de amigos, na frente de vocês, em parquinhos vazios. Porque o amor está fora de moda.


— Gabito Nunes. [http://www.gabitonunes.com.br/]

33 comentários:

  1. Acho que o amor esteja fora de moda, por mais ninguém acreditar que possa ter um feliz para sempre... adoro seu blog, estamos com post novo se poder comentar, beijao

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Natália. Fiquei feliz com seu comentário :)

      Excluir
  2. Olá
    Gostei bastante do texto!
    Beijos

    cocacolaecupcake.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Adorei o texto e a explicação é fantástica!
    Deixa o simples tão sem graça, que costumamos usar no nosso cotidiano para explicar tal fato.
    Obrigada pela visita. Volte sempre!

    Tecido_Doce
    Twitter

    ResponderExcluir
  4. Eu ainda acredito nos felizes para sempre, e acredita que não acontecam só nos filmes! Mais um óptimo texto!!
    XO
    lightweight-fly.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pior que eu também, olhando os meus pais, só não sei se "pra mim" isso seria possível...

      Excluir
  5. Samyle, acho que você não poderia ter escolhido um melhor texto do Gabito! O título já fala tudo, por si só. Nem tenho o que dizer, sério. Só que acho uma pena o amor estar fora de moda. Eu sofro bastante com isso!
    Beijinhos

    Hipérboles
    @hiperbolismos

    ResponderExcluir
  6. Gabito escreve muito bem! Eu já tinha lido esse texto antes, e gostei muito. Cheguei até a imprimir para dar de carta. Com o nosso mundo atual, o amor praticamente não existe :/
    Beijos,
    Estéffani Fontes, do blog Aos Dezesseis Anos
    http://aosdezesseisanos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Que texto lindo! Nunca tinha o lido. É bem real.
    Perfeito.

    http://livrosemeninas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Infelizmente o amor esta em falta mesmo, ): E adoro os textos do Gabito. Obrigada por comentar no meu ultimo post, bjbj (:

    http://pedacosdelembrancas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Uou, que texto lindo! Realmente verdadeiro- o começo do texto diz tudo, assim como o final-"Elas só querem as mesmas coisas, talvez não agora, nesse momento, lugar ou fase da vida, e provavelmente não hoje, nessa festa ou reunião de amigos, na frente de vocês, em parquinhos vazios. Porque o amor está fora de moda."-, o conjunto em si ficou perfeito! Sem palavras pra dizer o quanto amei:)
    Ah, e tem post novo lá no blog, finalmente. Desculpa a demora pra postar...
    Beijo♥
    http://menina-do-sol.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Gente, qe texto lindo!! Sinceramente, amar é pra os fortes...

    AMEI seu blog, não pude deixar de seguir, então, dáh uma passadinha no meu por favor amore??
    Bjus! (◕‿◕✿)

    http://euusomaquiagem.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Adorei o texto, é do Gabito?
    Me fez pensar em 200000 coisas...
    Beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É do Gabito sim, nos meus não coloco o autor ;)

      Excluir
  12. Ameeei o texto, muito boom!!!
    Você escreve muito beem!!!
    Me identifiquei muito!!!
    Parabéns!
    Bisous.
    pequenomuffin.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Nossa que texto legal, como você acha essas coisas ein? hahahah

    Gostei mesmo. Como disse a Vivian ali em cima, me fez pensar em 200000 coisas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aaah, eu acho pelo Tumblr, no maior acaso hahaha'

      Excluir
  14. Nossa que texto... tocante. Ele é lindo.
    my-history-restarted-again.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. A escrita do Gabito Nunes é maravilhosa, esse texto é sensacional.
    Excelente escolha.
    Beijos, Cyn.
    http://ograndetalvez.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. oi dnv!

    Estéffani Fontes, do blog Aos Dezesseis Anos
    aosdezesseisanos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  17. Devido o seu carinho de sempre eu te indico um selo super fofo, quem me indicou foi a Tammy.

    http://luzia-medeiros.blogspot.com.br/2013/02/selo-comentarista-gracioso.html

    ResponderExcluir
  18. Boa tarde *-*
    Curti a página!!
    Muito sucesso, bjbj
    http://isabellalessa.com/

    ResponderExcluir
  19. Olá!
    Só vim dizer que te indiquei em um meme e desejar boa semana!
    Beijos!
    http://www.doceilusao.com/

    ResponderExcluir
  20. Adoro o seu blog,de verdade, é um amor. Acho que você escreve muito bem mesmo, com uma leveza nas palavras.
    Vi esse texto a pouco tempo na dash do tumblr e ele diz toda a verdade. Penso que tem muitas meninas amando com poucos garotos valorizando isso (me incluo nessas meninas, sinto falta de ser amada).
    Bem, adorei o texto que você postou, e parabéns com o seu blog, amo mesmo aqui, às vezes me inspiro nos seus textos (espero que não seja um problema).
    Beijos,
    Anna Luiza.
    http://flor-de-vidro.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, que incrível, estou inspirando alguém! Não é problema algum, até me sinto honrada!

      Excluir
  21. Uau! Este texto de tão bom, de tão sincero e expressivo, é desconcertante.
    Principalmente por que a medida em que fui lendo fui relembrando rostos e pessoas, que, merecem mais, mas não optam pelo mais.
    O amor realmente saiu de moda, e com o 'término' desta moda, quanta coisa boa não tem sido arrancada injustamente não?

    Um beijo pra ti,
    e uma semana repleta de muitas coisas boas.
    Jhosy


    http://meninamsicaeflor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Que lindo texto. "Elas só querem as mesmas coisas." Acho que isso é muito verdade, assim como o texto inteiro. Assim como "O amor esta fora de moda". Amei.
    @awnste
    http://www.senhoritaliberdade.com/

    ResponderExcluir
  23. Nossa! Aí em cima só comentários de moças concordando que o amor está fora de moda. Pois, justamente eu, um homem, vem discordar. Não acho que o amor esteja fora de moda. Está difícil. Sim, e complicado. Acho que hoje as pessoas esqueceram de se amar ou de como se ama. Não sei se é correria e o estresse do século XXI que endurece os corações faz com que as pessoas tenha deixado de lado esta força que move o mundo, mas quando acontece elas curtem, se lançam de cabeça sem pensar se tá na moda ou não. O amor é raro, não é banal. É verdadeiro. Se ele está fora de moda por causa da escassez é porque na verdade nunca esteve.

    Histórias, estórias e outras polêmicas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei ver seu ponto de vista. Sério. Acho que esse foi o do autor, dirigido principalmente ao "rapazes" ( e não somente eles, é verdade, temos também a nossa grande parcela de culpa) que, me corrija se estiver errada, estão mais preocupados em brincar e "aparecer". Porque, pelo o que ando vendo, parece que a única coisa que importa na cabeça de muita gente é ser popular.

      Excluir
  24. eu acho que todo mundo acredita no amor, mas com tantas coisas acontecendo acaba que vai perdendo a fé. Mas lá no fundo todo mundo acredita que um dia vai encontrar a sua metade da laranja.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, também vejo assim. Só que agora parece que estão brincando demais...

      Excluir
  25. Fazia tanto tempo que não aparecia aqui, o que deveria ter feito por que eu senti falta disso. Falta de textos desses tipos e preciso tirar um longo tempo pra ler os outros seus, mas esse realmente caiu perfeitamente no momento e no que estou sentindo, de fato o amor esta fora de moda, ninguém mais sabe utilizá-lo como antes, ninguém o tem, ninguém o procura, todos se esqueceram como amar um aos outros, passaram apenas a aprender a amar a si mesmo, o que também não é problema, mas na hora certa. Amei o texto!

    Vou aparecer mais aqui.

    ResponderExcluir