terça-feira, 3 de julho de 2012

Reflexões de Chuveiro


Liguei  o chuveiro e deixei a água me limpar, soltei as lágrimas que há muito guardava, tentei fazer com que os problemas e as dúvidas escorressem pelo ralo. Fingi que estava bem. Embora não esteja.
Percebi que a dor continuava guardada aqui dentro, pequena, porém viva. As dúvidas não acabaram, as certezas ainda eram pouquissímas e os problemas, os quais é bem provavel que eu os tenha criado, continuavam sendo barreiras altas demais para serem escaladas.
Eu continuei me importando.
O que tanto me aflingi é saber que ainda sou aquela menina tolinha que se apaixona fácilmente e você, considerando que eu esteja lúcida, parece ter saído dos meus sonhos de criança, da época em que dizia que "o meu marido teria uma pele bem branquinha, o cabelo e os olhos negros e seria bem mais alto do que eu", e, acredite se quiser: um rosto muito parecido com o seu me vinha à mente.
No entanto, já tenho maturidade o suficiente para perceber pelos seus modos que, provavelmente, você seja um rapaz volúvel, que "ama" alguém por um dia e, no seguinte, se apaixona por outra sem nunca se apegar a ninguém. Eu notei em ti uma certa insensibilidade às palavras que tanto me abalaram naquela palestra jovem sobre, justamente, amor e namoros.
É por isso que estou aqui há tanto tempo, refletindo, é por me importar com você, com o que acho que comecei a sentir por ti. É por me importar em não me ferir e, do mesmo modo, em conseguir a felicidade, o aconchego, que encontro na tua presença.
Estou achando que quero correr riscos, apesar de tudo. Ao menos uma vez, não vou ficar esperando que as coisas caiam do céu. Talvez, eu esteja me preparando para "brincar com fogo" ao amar alguém inconstante, entretanto, há a probabilidade de o meu julgamento estar errado...
Desliguei o chuveiro e sussurrei: "Desta vez, prometo, não chorarei por coisas vãs. Eu apenas seguirei em frente, começarei do zero, de cabeça erguida".

P.S: Finalmente estou com internet. Desculpem a demora!

15 comentários:

  1. Belo texto, ótima reflexão! E o final sempre é uma meta quebrada :(

    ResponderExcluir
  2. Sempre faço esse tipo de reflexão da hora do banho, choro, esperneio... Sei lá, parece que alivia IHSDIUHADUHAS
    Gostei muito do desfecho do texto, da determinação como foi terminado. É assim mesmo!
    Lindo aqui, viu?
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ficou muito feliz, Giulia, que tenha gostado *--*

      Excluir
  3. Pensei que eu era a única que usava o tempo do chuveiro pra refletir e pensar sobre a vida hsuihduds ótimo o texto, beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Certamente não é a única, Larissa!
      Ficou grata por ter apreciado.

      Excluir
  4. O chuveiro depois do travesseiro é um ótimo lugar para chorar, desabafar, ficar em silêncio, pensar, sonhar. São espaços que me fazem refletir.

    http://cappuccinoeaconta.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo. O travesseiro é meu predileto, sem dúvida...

      Excluir
  5. Super me identifiquei com o seu texto. Já perdi as contas de quantas vezes eu chorei no chuveiro. E tudo por causa de um amor... virtual ainda por cima, da pra acreditar? mãs, depois de um certo tempo, vi que a coisa não valia a pena e me fiz a mesma promessa "(...) Eu apenas seguirei em frente, começarei do zero, de cabeça erguida". E até hoje tem dado certo n_n


    Beijinhos e uma ótima semana! :*
    http://www.linguadoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito alegre em ver que se identificou com que escrevi, Rafaela. ;)

      Excluir
  6. Adorei o texto.
    Acho que não vale a pena chorar por quem não marece. Adorei a forma como você escreveu, sempre tão linda *o* Sucesso aew.
    http://www.senhoritaliberdade.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talvez, já que estaremos aprendendo a reconhecer quem não merece...
      Obrigada, Stalla *--*

      Excluir
  7. Muito bom o texto. Acho que a hora do banho, antes de dormir e debaixo da chuva são os momentos perfeitos para deixar as lágrimas rolarem.

    ResponderExcluir