quinta-feira, 12 de setembro de 2013

A flor

   Ele tossiu ao dar a primeira tragada. Curvou-se sobre si, dramatizando a sua própria humilhação. Droga, pensou, não sirvo nem pra fumar. E atirou ao chão aquele objeto que tanto arquitetara para furtar. Imaginou, outrora, vê-la saindo de um lugar qualquer, a cara emburrada, o peito pesando uma tonelada, a descoberta de um engano em mente. Terrível engano. E a primeira coisa que seus doces olhos focariam seria ele. Indiferente. Distante. Inalcançável. 
   Mas ela saiu da lojinha de quinquilharias com um sorriso. E ele nem cigarro tinha pra fazer pose. Fez um rodopio para seu espectador, seu vestido listrado brincando de bailarina. Rindo-se às gargalhadas por se dar ao direito de ser criança apesar de grande, só não tão grande assim. Seus olhos o encontraram, deu-lhe seu aceno teatral. Tudo o que ele já conhecia tão bem. Os dentes um tanto afastados não a intimidavam, era feliz sem importar-se com aparelhos. E no rosto sempre alguma pequena espinha vermelha marcando presença, nada que a fizesse esconder-se detrás d’alguma maquiagem, nada de esconder-se detrás de alguma máscara. Era tão absurdamente ela. E isso a fazia ser tão intrinsecamente nele.
   Veja bem, não dele.
   O dono dos seus sorrisos e rodopios estava logo ali. Embora não merecesse. Comprara uma caixinha de joias barata, com desenhos de copos-de-leite. Não sabia nem a sua flor favorita, porém a ganhara com uma flor. E ela se achega ao outro, pendendo levemente a cabeça para o lado, como se para captá-lo melhor. Nenhum sentimento de culpa, nada de descobertas revolucionárias, apenas ele, ela e o outro. Apenas frustração separada por paixão e paixão. Afastando-se a passos lentos, para importuná-lo ainda mais. Maldito vento, também, carregando-lhe a risada. 
   Carregando-lhe fragmentos de sua voz, inocentes exclamações. A flor, minha flor, a flor do outro. Já adquirira um significado tão intimo para ambos, embora fosse tão mais dele. Ele, que a observara primeiro, esquadrinhara-a com tanto afinco. Lutara para ser seu grande amigo, o único digno de ter visto a lágrima teimosa escorrer brevemente. Em cuja pele desenhava por diversão. 
   Agora, no entanto, ia na direção oposta, pisando num cigarro inútil. Tentando se encontrar sem vê-la dentro dele, tão mesclados estavam ambos. Torcendo para que o outro não se habitue a vivacidade que tanto o fascinava, torcendo para que ela nunca parasse de sorrir. Seguindo o caminho tanto antes retratado, mas que nunca pareceu ser dele. Absorto na pergunta cuja resposta não queria ouvir. Porque as pessoas só veem o que querem ver.

Minha flor serviu pra que você achasse alguém, um outro alguém
Que me tomou o seu amor
E eu fiz de tudo pra você perceber
Que era eu
Los Hermanos

24 comentários:

  1. Amei esse texto, Samyle! Você tem um talento que encanta. E as palavras que você usa complementam isso. Sobre a história, é tão suave e sofrida e me lembrou aquela música do Bruno Mars: When I Was Your Men, que hoje é uma das minhas favoritas. Acho que o bonito de amar é aceitar a pessoa amada com outra pessoa, apenas por fazê-la bem.
    xoxo <3
    Anna,
    http://flor-de-vidro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você sobre o amor, mas meu personagem não é assim. Nem sei direito o que ele é, na verdade... Peguei a mania de gostar mais de criar personagens do que escrever estórias propriamente ditas, deve ser por isso que meu livro está meio empacado.
      Não conheço essa música (se for conhecida, não se espante, eu vivo alienada do mundo). Vou conferir ;)

      Excluir
  2. Nossa, muito belo o texto! Amei essa ultima parte ''Minha flor serviu pra que você achasse alguém, um outro alguém.Que me tomou o seu amor.E eu fiz de tudo pra você perceber que era eu.!
    Lindo!
    Beijos :*

    http://entreasppas1.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas essa parte é a letra da música A flor da banda Los Hermanos :)

      Excluir
  3. Que lindo, Samyle! Adoro texto/história baseados em músicas(: Vou ouvir A flor agora. Amei♥
    Beijos<3
    http://menina-do-sol.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que tenha gostado, Los Hermanos é um amor ;)

      Excluir
  4. Nossa, que lindo. Faz um tempinho que não lia textos assim por aqui. Ás vezes é bom. Ah, você fez esse conto baseado na música?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi sim, nessa tag "Minha Canção" eu faço uma crônica/conto baseado no que uma música me passou. Como A Flor já é uma estória em si, resolvi só "engordá-la" um pouco rs'

      Excluir
  5. Que texto lindo, amei!
    "Porque as pessoas só veem o que querem ver" bem isso mesmo
    Beijos

    featglam.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. ei flor, ta rolando um sorteio muito legal no meu blog, ficaria feliz se quisesse participar *-*
    http://toledo-esefosseverdade.blogspot.com.br/ bejoos

    ResponderExcluir
  7. ai que lindo, gosto de textos inspirados em letras de múscias, awn <3
    bjbj
    http://pedacosdelembrancas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Samyle como sempre me surpreendendo. Gosto de textos que são inspirados em música, já que a maioria dos meus também são, mas nem chegam aos pés dos seu. Perfeito! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não sabia que eles eram inspirados em músicas, nunca tinha percebido... Eu nem sei o que responder com um elogio desses, só posso agradecer, de todo o coração.

      Excluir
  9. Vou até procurar essa música, de tanto que gostei do seu texto ^^
    Fiquei muito triste pelo rapaz do texto, vendo a garota com outro. Mas o fato do texto ser tragico é o que torna ele bonito.

    Não dá pra passar pra palavras o quanto eu gostei. Você só escreve coisa bonita ^^

    "Ele tossiu ao dar a primeira tragada. Curvou-se sobre si, dramatizando a sua própria humilhação." amei essa frase!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A música, apesar de contar uma estória triste, é mais animadinha, o que não condiz com o texto, mas, enfim, espero que mesmo assim goste dela.
      Curiosa a sua escolha de frase, não imaginava que essa marcaria quando a minha favorita, que deu origem a todo o texto - sério, ela simplesmente me veio enquanto estava no banho e eu fiquei repetindo direto para não esquecer - foi "Era tão absurdamente ela. E isso a fazia ser tão intrinsecamente nele. Veja bem, não dele."
      Eu nem sempre escrevo coisas bonitas, é porque na maioria das vezes eu deixo os textos "envelhecerem" antes de publicá-los para ver se realmente estão bons. Mas muito obrigada pelo elogio, eles sempre me animam *.*

      Excluir
  10. A gente acha que tá aqui pra fazer o que quizer," é o que mnha professora mais diz. E é verdade, vivemos pensando em coisas que só existem na nossa cabeça, achando que viver é isso . É que é mais confortavel.
    VTem post novo no blog e agora ele tem twitter UHUL, segue lá @torresaamanda
    barradosno-baile.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh, alguém teve a mesma interpretação que eu! Acredita que os personagens vão simplesmente ganhando vida enquanto eu escrevo? Sei lá, parece que só estou descrevendo alguém, mas quando para e leio, vejo que é muito maior que isso, estou vendo uma pessoa pelos olhos de outrem.
      Escrever é verdadeiramente fascinante.

      Excluir
  11. Belo texto Samyle,esse final com o trecho dos los hermanos *o*

    Abraços;
    Desconstruindo Amélias

    ResponderExcluir
  12. Muito bonito seu texto, apesar de triste... Mas ultimamente ando vejo ainda mais beleza em contextos assim, rs.
    Você escolhe muito bem as palavras e as aplica com muita precisão. Gosto de te ler por isso!
    Acho que parte do que é amar, é aceitar a felicidade do outro com alegria, mesmo que a felicidade não esteja sendo vivida ao nosso lado.

    Um beijo flor!
    E desde já, uma excelente semana.
    Jhosy

    http://meninamsicaeflor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. muito verdadeiro mostra a realidade de hoje,beijooo obrigado por comentar lá no blog

    ResponderExcluir
  14. Fiquei sem palavras ao ler o texto, e quando cheguei no trecho da música, tocou ainda mais meu coração. Lindo texto, parabéns!

    Beijos,
    Blog Fashion e Bella
    www.fashionebella.com.br

    ResponderExcluir
  15. "Era tão absurdamente ela. E isso a fazia ser tão intrinsecamente nele. Veja bem, não dele"... O texto é lindo. Esse trecho ficou sensacional... E nada mais verdadeiro que isso: "as pessoas só veem o que querem ver".

    ResponderExcluir
  16. Achei seu blog por acaso através de outros blogs, acho que foi através do ler imaginar e criar e esse texto me fez lembrar dessa musica do Bruno Mars da qual sou fã When I Was Your Men, !! Vc curte as musicas dele ? Gostei!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que bom, eu amo esse blog, e Marina é um amor de pessoa! Você é a segunda pessoa que me fala dessa música, e eu tinha olhado só a letra rs' Bem, vou parar de adiar e ir agora mesmo ouvi-la. Bem, eu n conheço as músicas dele, só lembro daquela Talking to the Moon quando fazia sucesso e, na verdade,não tinha gostado dela, Gosto é algo meio complicado, não? Dá uma olhada na playlist pra você ver ^^

      Excluir