quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Não me deixe ir

    Cadê você? Eu já estou na estação de trem, o tempo está correndo. Por favor, não me deixe partir! Venha, faça uma maluquice, traga uma desculpa qualquer, mas venha. E rápido. Porque eu só estou aqui por "nós".
    Não, meu bem, não precisa trazer nenhum discurso. Depois você me diz estas palavras bonitas, teremos todo o tempo pra fazer promessas e planos. Nenhum "eu te amo" irá me fazer permanecer aqui. Somente venha cumprir esta promessa, será o suficiente para a nossa eternidade.
    Eles vão nos separar, entende? Pra longe. Pra sempre. Nunca mais vou ver esse teu sorriso torto nem teus cabelos bagunçados ao vento. Eles dizem que nosso amor não é saudável, como? Por que? O amor faz um bem danado! Então, chegue o mais depressa possível e prove-os que nosso relacionamento não é vazio.
    Fujamos! É isso! Vamos embarcar em um navio antigo como clandestinos, à caminho de outro país. Moraremos em uma área rural e criaremos nossos filhos numa linda casinha de campo. Afinal, é isso que importa: estarmos juntos, bem.
    Mas cadê você? O trem já chegou e o cobrador está chamando os passageiros. Temos menos de um minuto, meu bem. Já posso ver os nossos planos se realizando, apenas preciso que pegue a minha mão e caminhe comigo em direção à eles. Cadê você? Cadê teu amor? Não me deixe ir!
    Partir.
    Partiu.

23 comentários:

  1. É tão ruim ter que partir, mas com vontade de ficar.
    Eu também espero, so não sei até quando esperarei.

    Adorei o post.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que estranho... não era nada disso que quis passar... Bem, começo a entender isto de que cada um "enxerga com os olhos que têm. E interpreta onde os pés pisam. Cada ponto de vista é a vista de um ponto. Para entender o que alguém lê, é necessário saber como são os seus olhos e qual é a sua visão de mundo. Isto faz da leitura sempre uma releitura. [...] Sendo assim, fica evidente que cada leitor é co-autor. [Leonardo Boff]"

      Excluir
  2. Que lindo esse texto, é horrivel ter que partir :(
    beijos
    http://makeupdaevy.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por mais horrível que pareça ser, é necessário recomeçar. E só achamos ruim porque temos medo do desconhecido...

      Excluir
  3. Que texto lindo, acho que deve ser horrivel ter que partir sem o seu amor, deixar uma pessoa que ama pra trás...
    @awnste
    http://www.senhoritaliberdade.com/

    ResponderExcluir
  4. Obrigado por me seguir viu! Já estou seguindo aqui também. Tem facebook? Então entra para o grupo de blogueiros nesse link: https://www.facebook.com/groups/blahblogueiros/
    Estarei esperando...

    Hee’ Karina ♥ Blog Doce Futuro
    Docefuturo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Sempre lindos contos, Samyle! Às vezes, é preciso mais que a vontade da gente pra ficar, só a nossa vontade não basta. Então a gente precisa ir, mesmo não querendo, mesmo não gostando. E se quiser saber, algumas coisas só começam a fazer sentido depois que a gente vai.
    Beijinhos

    hiperbolismos.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você me fez parar pra pensar com esta frase: "algumas coisas só começam a fazer sentido depois que a gente vai". De fato, também acho que seja assim, no conto, vemos uma menina iludida que, em uma hora ou outra, vai entender que está fazendo um bem a si própria.

      Excluir
  6. Adorei o texto também *-*
    Seu blog é muito fofo XD

    www.cupcaketaste.com

    ResponderExcluir
  7. Samyle,
    gosto cada vez mais dos teus textos!
    A forma como você descreve as palavras sempre me levam ao desenrolar de uma história, que nunca sinto ser acabada.
    Penso no partir como aquele recomeço que as vezes não é desejado, mas que tem que acontecer, mesmo que seja distante no começo para depois aproximar.

    Um beijo,
    Jhosy
    http://meninamsicaeflor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que o legal de contos sem fim explicito é exercitar a imaginação do leitor, espero que, assim como você, as pessoas também passem a imaginar um final bom, já que raramente é possível agradar a todos os gostos... Fico muito feliz que tenha gostado Jhosy, estava meio insegura em relação a este conto porque é bem diferente do que costumo postar.

      Excluir
  8. Nossa!Como você escreve bem.Amei o texto.Tão profundo....**
    Seguindo aqui.Se puder,retribua.Ficarei honrada!
    http://revistaadolescenteevangelica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Lindo texto!! Como você consegue escrever coisas são bonitas? Sério, você tem talento.

    O texto me lembrou de uma historia que a pessoa queria fugir com outra pelo trem, mas uma delas não apareceu. Não me lembro de onde é, acho que foi em um livro do Zafon, não tenho certeza. Mesmo assim achei muito legal o texto *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério, não sei de onde estas estórias saem. Eu estou parada, vendo qualquer coisa, ou com a cabeça nas nuvens pensando em nada (ou quase), então, simplesmente, tenho vontade de escrever e sai textos assim. Mas fico muito grata com o elogio!

      Nossa, sou louca pra ler Záfon, vou começar com Marina (que até agora não chegou na livraria, embora eu tenho pedido faz umas três semanas). Agora estou mais curiosa em relação a este autor!

      Excluir
  10. Lindo, Samyle, lindo!
    PS: parei pra reparar nas músicas que tocam aqui. Beirut, Mallu... ótimo gosto ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aaaah, alguém tem o gosto parecido com o meu, ebaahh! Amo Beirut de coração, escuto muito Mallu e Marcelo e ultimamente Tulipa Ruiz (que é animadinho, mas tem músicas que são de fato ruins) e Cícero (Canções de Apartamento é um álbum lindo!), sem falar em Agridoce, além do eterno Los Hermanos, claro ;)
      (nossa, como eu me animei pra falar de música!)

      Excluir
  11. Nossa que lindo <3
    Porque agente faz as coisas pensando que algo ou alguém irá nos socorrer? Talvez ele estivesse esperando ela também ><
    http://www.avidaemletras.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei do seu ponto de vista. Talvez, quem sabe...

      Excluir
  12. Adoreeeeeei o texto!
    Essa coisa de partir por causa de outra pessoa é tão complicado. Eu sou paulista e namoro uma gaúcha que veio morar comigo aqui em Sampa. Às vezes eu tenho medo dela resolver ir embora por causa de uma briga e eu nunca mais vê-la. Pior ainda se o motivo for algum externo. Como os pais obrigarem que ela volte e tal. Mas acho que é como diz aquela famosa frase clichê: para ver se algo é realmente seu, deixe-o ir; se voltar, ele sempre foi seu; se não voltar, ele nunca foi.
    Beeijos. :*

    bookaddictedblog.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Ah, esperar por quem não vem...
    A gente acaba imaginando um mundo inteiro, um destino todo traçado, uma nova vida, mas a gente esquece que isso só pode acontecer quando tal fato depende unicamente e exclusivamente de nós mesmos. Sempre quando há outra pessoa envolvida, as coisas mudam. Nunca se sabe se o nosso plano idealizado corresponde ao que a outra pessoa quando imagina. Pessoas, sempre um assunto muito complicado...
    Acho demais contos envolvendo trem, acho tão lírico! Ah, antes que eu esqueça de comentar, adoro essa música Antes das seis do playlist. *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você sempre me surpreende com seus comentários! Penso exatamente assim...

      Excluir
  14. Quando cheguei tava ouvindo a musica da Avril lindaaaaaaaaaa, I'm With You, nunca tinha ouvido antes....

    ah, seus textos estão cada vez mais lindos, você faz rascunho? rs

    HOJE MEU BLOG COMPLETA UM MÊS! e coloquei o link do seu blog no meu post rs
    obg por fazer parte da minha história!

    @esteffanifontes, segue? Beijos,
    Aos Dezesseis Anos - aosdezesseisanos.blogspot.com.br

    é um imenso prazer seguir o seu blog.

    ResponderExcluir